Aula de redação

O tema aqui é o aborto

Posted on: maio 8, 2008

Leia os textos e escreva uma redação sobre o aborto.

“Nosso tempo tem suas questões éticas características. Uma delas é o aborto. A lei brasileira o proíbe, exceto em poucos casos. É praticado em enorme escala no território nacional, em condições de saúde precárias e sujeitando muitas mulheres a chantagem ou pressão por parte da polícia.

Por isso, uma reivindicação importante do movimento feminista é pelo fim da punição penal a quem pratica aborto. Mas a questão é complexa. Os inimigos do aborto alegam que se põe fim a uma vida, e que portanto abortar é uma forma de matar. Daí que haja toda uma discussão sobre a questão de quando começa a vida, ou pelo menos a vida que merece ser chamada humana e protegida pela sociedade e pelo Estado.

Penso, porém, que esse debate, ainda que importante, mascara outro, mais profundo, menos evidente. Para isso, preciso remeter a minha experiência pessoal, quando fui estudar na França, na época em que estava sendo discutida a liberação do aborto naquele país. Isto se deu nos anos 70.

As paixões estavam exaltadas. E os jornais veiculavam posições pró e contra a descriminação do aborto. (Evito usar o termo “pró” e “contra” o aborto, porque não sei se alguém é “a favor” do aborto; o máximo que os defensores da liberdade de abortar pretendem é que esse ato deixe de ser crime; não conheço ninguém que defenda o aborto como ideal, como método, como prática).

Vindo de um país como o Brasil da ditadura, no qual o debate público sobre qualquer assunto era barrado, eu não era a favor do aborto. Pensava, como ainda penso, que a maior parte dos abortos decorre de uma pobre educação sexual. Se for fácil o acesso a métodos anticoncepcionais e os jovens tiverem bom conhecimento de como evitar a gravidez, o aborto se tornará quase desnecessário. A gravidez indesejada decairá em número e o recurso ao aborto será apenas excepcional.

Ora, fiquei espantado de não ler, nunca mesmo, este argumento nos jornais. Melhor dizendo, nunca vi ninguém, dentre os contrários ao aborto, falar algo parecido com isso, em meses de fóruns na imprensa. O normal, na argumentação contra o aborto, era – além de se falar em assassinato etc. – acrescentar: “teve prazer, agora pague pelo que fez”; “não pensou na hora, pense agora”; e por aí adiante.

Em outras palavras, quem era contra o aborto acabava sendo contra a sexualidade.

Para essa argumentação, é claro que nem a educação sexual nem métodos contraceptivos são bons. Esses recursos permitem o sexo sem seus efeitos colaterais, como a gravidez não desejada, a doença venérea, a AIDS. Eles fazem a sexualidade ser vivida como algo positivo, reduzindo seus riscos. Por isso, quem é contra a prática do sexo vê a gravidez como o castigo dele, como um sofrimento merecido – e por isso será contra tudo o que elimine essas penas.

Talvez os mais jovens não tenham consciência da revolução que foi a pílula, há menos de meio século. Ela permitiu, numa escala inédita, separar o sexo do seu ônus, que era a gravidez – ou a doença venérea; se pensarmos na sífilis, basta lembrar que no começo do século XX seu tratamento era muito sofrido e sem garantia de cura. Hoje, o espectro da AIDS assusta, mas mesmo assim a mudança foi enorme.

E no entanto convém, quando discutimos o aborto, pensar o que está em jogo. Volto a meu contato com a discussão francesa dos anos 70: os únicos preocupados em melhorar a educação sexual e em disponibilizar pílulas e preservativos eram, justamente, os defensores do direito de abortar. Pode soar paradoxal, mas somente eles contribuíam para reduzir o número de abortos – e isso porque o único meio de diminuir a interrupção voluntária da gravidez é evitar que essa última ocorra, e apenas se consegue isso com uma boa educação sobre o sexo.

Paro por aqui. Voltarei ao assunto. Ele tem outros aspectos, como a discussão sobre a vida e a morte, opondo o direito do feto a viver e o da mulher a decidir sua gravidez. Como em todas as questões éticas, não é fácil ser irrestritamente a favor de um lado. Mas quis começar apontando motivações inconscientes ou ocultas, que compareciam na discussão francesa e me parecem estar presentes também no Brasil.

Eu, que apóio a descriminação do aborto como um mal menor, tenho pleno respeito por quem se opõe ao direito de abortar, mas somente quando está realmente defendendo o feto e não quando o que quer é punir quem vive sua sexualidade e especialmente as mulheres, negando-lhes uma educação sexual ampla e aberta ou o acesso fácil a métodos anticoncepcionais bons e seguros. Mas retornarei ao tema.” Renato Janine

http://www.renatojanine.pro.br/Etica/aborto.html

“É fácil verificar que está sendo armada uma nova investida governamental visando a uma ampla aprovação do aborto legal. Pois bem, para a lógica pró-aborto, Isabella pode ser morta e jogada fora com as bênçãos do Estado, desde que esteja ainda no ventre materno. Explico-me. Isabella é uma pessoa. Um embrião e um feto são também uma pessoa, tanto do ponto de vista científico como filosófico. Não ver isso é pôr lacre nos olhos.

É falsa a afirmação de que o feto faz parte do corpo da mãe, e de que a mãe pode abortar por ter direito sobre o seu próprio corpo. Na verdade, a mãe é a hospedeira, protetora e nutriz de um novo ser diferente dela, um outro indivíduo. Biologicamente, o ser que está aconchegado dentro do seio da mãe é idêntico ao que estará sentado no seu colo com 3 meses ou à mesa com ela quando tiver 15, 20 ou 50 anos de idade. O embrião é distinto de qualquer célula do pai ou da mãe; em sua estrutura genética, é ”humano”, não um simples amontoado de células caóticas; e é um organismo completo, ainda que imaturo, que – se for protegido maternalmente de doenças e violência – se vai desenvolver até o estágio maduro de um ser humano.

Aprovar a autorização legal para abortar, como bem comentam os filósofos Robert P. George e Christopher Tollefsen em seu recente livro Embryo: A Defense of Human Life (Doubleday, 2008), é dar licença para matar uma certa classe de seres humanos como meio de beneficiar outros. Defender os direitos de um feto é a mesma coisa que defender uma pessoa contra uma injusta discriminação, a discriminação dos que pensam que existem alguns seres humanos que devem ser sacrificados por um bem maior. Aí está exatamente o cerne da questão, que nada tem que ver com princípios religiosos nem com a eventual crença na existência da alma.

Hoje, o que está sendo questionado não é tanto a realidade biológica, inegável, a que acabo de me referir; é coisa muito diferente: o próprio conceito de ”humano” ou de ”pessoa”. Trata-se, portanto, de uma pergunta de caráter filosófico e jurídico: quando se pode afirmar de um embrião ou de um feto que é propriamente humano e, portanto, detentor de direitos, a começar pelo direito à vida?

O desencontro das respostas científicas – evidente – acaba deixando a questão sem um inequívoco suporte da ciência. Fala-se de tantos dias, de tantos meses de gravidez… E se chega até a afirmar, como foi feito recentemente entre nós, que só somos seres humanos quando temos autoconsciência. Antes disso, só material descartável ou útil para laboratório. Mas será que um bebê de 2 meses ou de 2 anos tem ”autoconsciência”?

Perante essa perplexidade, é lógico que se acabe optando pelo juridicismo. Cada vez mais, cientistas e juristas vêm afirmando que quem deve decidir o momento em que começamos a ser humanos e, em conseqüência, a termos direito inviolável à vida, é a lei de cada país. Ora, essas leis, por pouca informação que se tenha, variam de um país para outro e dependem apenas – única e exclusivamente – de acordos, do consenso a que chegarem os legisladores. Em muitos casos, mais do que uma questão de princípios, decidir-se-á por uma questão de pressões, ou por complexos comparativos, isto é, pelo argumento de que não podemos ficar atrás dos critérios legais seguidos pelos países desenvolvidos. Mas nem pressões nem complexos parecem valores válidos para decidir sobre vidas humanas.

Quanto ao ”consenso por interesse”, é útil recordar que fruto dele foi a legislação que, durante séculos, definiu que uma raça ou um povo são legalmente infra-humanos e que, portanto, podem ser espoliados de direitos e tratados como ”coisas”, também para benéficas experiências científicas: é o caso do apartheid dos negros na África do Sul e dos judeus aviltados e trucidados pela soberania ”democrática” nazista.

O juridicismo, hoje prevalente, equivale a prescindir de qualquer enfoque filosófico e naufragar nas águas sempre mutáveis do relativismo. Nada tem um valor consistente, tudo depende do ”consenso” dos detentores do poder, movidos a pressões de interesses.

É óbvio que, por esse caminho, ficam abertas as portas para as maiores aberrações. Que argumento válido se poderá opor, então, a um projeto de lei que aprove a eutanásia compulsória dos anciãos gravosos ao erário, ou a eliminação de doentes incapacitados para o trabalho, na mais alegre imitação da eugenia nazista? Será que o juridicismo tem resposta ”válida” para isso?

Quanto à falácia da ”modernidade”, que acovarda Legislativos e Judiciários de países com complexo de subdesenvolvidos, bastaria evocar a história da decadência do Império Romano. Também então, quando a grande Roma se decompunha como um cadáver, vigorava uma ”modernidade” que abraçava as conquistas do aborto, do infanticídio, da eliminação de escravos e outros infra-humanos, da supressão acelerada da paternidade e da maternidade… Basta ler o Satiricon, de Petrônio, ou o áspero confronto que o historiador Tácito faz, em sua Germania, entre os sólidos e sadios costumes das tribos germânicas e a desintegração moral da sociedade romana.

Por isso me parece inevitável uma pergunta: uma legislação sobre a vida humana e seus direitos, que prescinda de dados científicos inatacáveis e dos princípios básicos da milenar ética filosófica, conseguirá ser algo mais que uma arbitrariedade iníqua?”

Carlos Alberto Di Franco, diretor do Master em Jornalismo, professor de Ética e doutor em Comunicação pela Universidade de Navarra, é diretor da Di Franco – Consultoria em Estratégia de Mídia E-mail: difranco@ceu.org.br

http://www.estadao.com.br/

About these ads

74 Respostas to "O tema aqui é o aborto"

Achei perfeito o texto sobre o aborto. gostaria que o senhor Carlos Alberto Di Franco me indica-se um titulo para uma redação sobre o aborto. que estou precisando urgente. agradecisa desde ja..!

Antes mesmo de criticar as pessoas deveriam se aprofundar nos assuntos , por que nao fala exclusivamente da PESSOA, da MULHER e sim de um conjunto de fatores que levam a mulher a refletir seriamente sobre ter um filho .
Principalmente quando vivem em condicoes precarias , sem apoio familiar, sem um companheiro , muitas vezes sem emprego sem uma BASE necessaria para criar e educar uma crianca.
Levar tambem em consideracao o motivos que faz essas mulheres a procurarem as clinicas clandestinas e aborteiras sem o minimo de conhecimento , o nosso governo nao oferece nenhum tipo de ajuda a essas pessoas , muitas vezes nem acesso aos metodos contraceptivos , muito menos a hospitais com capacidade de ajudar.
Deveria haver uma conscientizacao e mobilizacao de todos , principalmente EDUCACAO SEXUAL e metodos anticoncepcionais bons e eficientes e acesso a TODOS.

engraçado paula , vc critica o texto vc quer que o os governantes le der dicas de educação sexual , o garota isso vem di vc , se de o respeito, e quando vc fala que a pessoa ñ tem companheiro ,no minimo pega o marido das outras e ai quem tem que lhe dar dicas e vc minha querida
respeite seu corpo que vc serarespeitada agente só dar a quem queer vc não acha.engravidar sem querer nunca só se for estrupada isso sim

olha paula gostei mt do seu comentário porém achei q vc se essedeu um pouco pois a orientação sexual ñ tem q vir de uma pessoa de fora + sim de vc pq se ñ,
ñ vai adiantar nada alguém te da orientação e vc ñ confiar em si mesma e saber q pode +.
portanto sou obriga a concordar com o comentario da javenice moraes tbm sei q vc deve achar um absurdo q alguém descorde do seu comentario + é a pura verdade.

by: maah juuhlia :@

Eu concordo plena mente com a Paula, Gostei muito do comentário dela . Ela conseguiu enxergar a realidade coisas que muitos não conseguiram , as coisas são exatamente do jeito que ela falou , o Governo hoje em dia, Bom melhor Dizer o Sistema, está muito corrupto hoje em dia, pra falar a verdade, o SISTEMA é corrupto, (:
é eles não oferecem hoje segurança, EDUCAÇÃO SEXUAL muito menos , métodos anti-concepcionais bons e eficientes e acesso a TODOS. ???? nunca
hoje em dia é dificil até fazer aborto, :Z

você esta mau informada, o governo já oferece nos postos de saúde anticoncepcional e camisinhas… Nos dias de hoje só engravida quem quer.aborto só em caso excepcional com extrupo.

Entendo perfeitamente tudo o que tu diz Paula então me diz porque elas,eles(casais)fazem?A criança não tem culpa se foram irresponsaveis e não pansarem antes,poxa heim pense antes,pense nas consequências..Entendo perfeitamente que têm pessoas sem condições mesmo,mas a maioria das que abortam são aqueles que realmente não querem e não por condições.Em vez de matar a criança indefesa de vida e ela e se não tiver condições deixe no hospital ,leve á algum abrigo,mas não á mate isso chama-se ASSASSINATO e não simplesmente um aborto

Paula você esta muito mau informada mesmo, existe vários métodos contraceptivos e são gratuitos nos postos… Nos dias de hoje só engravida quem quer, (a não ser CLARO no caso de estrupo). E olha o primeiro motivo para uma mulher refletir sobre ter ou não um filho não seria não praticar o ato sexual? Ta tudo bem vamos concordar e justificar um aborto, mulheres inconsequentes e sem a minima condição psicologia e financeira buscam o prazer sexual sem se importar com o que pode acontecer. Ou melhor ela não tem apoio e nem companheiro mais pra fazer precisou de um certo? . O aborto é uma desculpa idiota pra jovens e mulheres não assumirem sua responsabilidade.

A maioria dos abortos infelizmente é feita por jovens! Por não ter uma educação sexual amplamente qualificada?

Os jovens de hoje em dia não estão tendo a devida informaçao tanto nas escolas quanto na mídia sobre a sexualidade. A televisão ensina como fazer sexo mas, deixa aleatorio a prenvençã. e as clinicas inlegais vão crescendo a cada dia por esses jovens que não tem condiçoes financeiras e nem maturidade pra criar um filho, e o sexo inseguro não relaciona só a gravidez e sim tambem a doenças sexualmente transmissiveis.

Tanto a mídia quanto o governo deve fazer a prevenção tomar uma atitude para que a gravidez na adolescencia venha ser prevenida. Com propagandas nos horarios de maior audiencia, nas escolas com aulas de educaçao sexual, e fechar essas clinicas inlegais sendo assim Tera uma mudança notoria nessa area de aborto e doenças sexualmente transmissiveis.

Adoreii , eu estava precisando de algumas ideias para fazer minha redaçãoo e com esse comentário me deu mais ideias ..agradeçoo’

e ne mais o meu professor falou bem assim quem tiver mestruada vai engravidar vey

cara eu tou cheioo de ideias pra fazerminha redação sobre aborto gostei muito dos teos argumentos aiii mais queria algumas sugestões de titulos pra minha redação que tao falando que tema do vestibular ese ano ou da federal ou do enem vai ser aborto ……

adoooooreeeeei esse comentário! meu deu uma excelente idéia para fazer minha redação.

A educação sexual junto com a prevenção não vem de escolas e muito menos da mídia, quem tem o dever de educar sobre tal assunto são os pais, isso mesmo, seu pai e sua mãe, aqueles que te trouxeram ao mundo (querendo ou não) com a obrigação de transmitir a melhor informação ao filho.
Sim a escola pode e deve orientar sobre a sexualidade, gravidez e DST, mas onde essa orientações deve ser iniciada é em casa.
A mídia é uma manipulação e quem dá audiência a isso é o telespectador da solidão.

Fiz uma redação com o tema aborto,nela exemplifiquei dois principais tipos de aborto:o aborto espontâneo e o aborto induzido.No meu desenvolvimento expliquei cada um desses abortos,mas fiquei com duvida como poderia concluir essa minha redação.
gostaria de saber como poderia terminá-la.
obrigada!

preguiçosa

Concordo plenamente ,quando te disseram que vc é preguiçosa,sabe porque?se vc começou deveria ter terminado,afinal de contas ñ se faz uma coisa só pela metade,por exemplo,você transaria só até a metade?

Jamilly, você é ridicula cara, a garota só pediu uma ajuda! se enxerga o ;)

essa redação não tem tese. é uma redação expositiva, apenas ‘dá aula’. Se sua professora(0) permitir isso, tudo bem. Mas esteja ciente de que é redação que expõe, explica.

Veja a diferença entre redaçaõ expositiva e a que pede uma tese, aquilo no qual vc crê, defente.

Pelo jeito você está mostrando as modalidades de aborto e tal; mas e vc é a favor do aborto? Ou que não seja a favor nem contra, quais são as ideias que ‘rolam’ por aí..exponha-as e feche a conclusão jogando para o leitor a problemática. Ele que pense.

Oswald

concordoplenamente com o carinha de cima/\ (;
essa redação está totalmente errada..
em uma redação argumentativa explicativa vc deve estáa agormentandoo e expondo o assunto, na tentativa de convencer o leitor.Apontando dados , etc.Com introdução , 3 paragrafos de desenvolvimento e a conclusão onde vc aponta soluções sobre o assunto apontado a cima.
nãao sei muito be redação mais isso é o obrigatorio , q todos nois deve saber(y’
beijooooo;*

exatamente, redação dissertativa argumentativa é um modo de esplicar, convenser, argumentar um ponto de vista, para que o leitor se convencar de que vc estar falando a verdade. e só é dada a ideia final no termino da redação, nada de querer argumentar no final, no final da redação apenas retome o que escreveu nada de colocar ideias novas, isso só ira te complicar. beijoss espero que ajude.

pessoal

eu sou a dona deste blog . infelizmente perdi a senha e ele está à deriva. o o word press não consegue me fornecer outra senha

quem quiser falar comigo escreva para

profared@hotmail.com

otimo o texto me ajudou muito valew

Os melhores argumentos sobre aborto que eu ja vi!

quero escrever uma redação online

achei uma merda!!!

merda é voce

adorei o que citaram sobre o aborto.

Q bom Ana Clara!

Rose MPrado

GOASTARIA MUINTO QUE VC ME MANDAÇE UM TEMA PRAA REDAÇÃO QUE FALA DO ABORTO NO BRASIL

muito obrigado pela ajuda!

gostaria que vc me mandasse um titulo para o aborto…por favor obrigada…

gostaria de um titulo para o aborto pois vou fazer a prova do enem e acho q vai cair sobre o aborto…por favor obrigada…

SÃO OTIMOS, OS TEXTOS NÓS AJUDA A TER UMA IDEIA MELHOR SOBRE O ASSUNTO DISCUTIDO..

ADORE OS TEXTOS MIM AJUDOU MUITO,COM MINHA REDAÇÃO NÓS FORÇA A PENSA, VER O OUTRO LADO QUE POR MUITAS VEZES É OCULTO ,NÃO DEIXE DE LER NEM QUE SEJA UM SIMPLIS ARTIGO DEIXO UM ABRAÇO ATODOS.

A questão é, ajudar quem já está vivendo em sociedade e vêr quais os MOTIVOS que levarão ou já cometeram o aborto.
Crime é a pessoa dar vida a outro indivíduo sem condições alguma de criá-lo e deixá-lo sofrer, de uma forma paradoxal, nasceu, porém não vive.
Exemplos como doenças, a chance da morte da mãe na hora do parto, extrupos pelo pai, tio, irmão ou vizinhos, crianças grávidas que ainda nem possuem todo os seus órgãos, como vai ser a vida desse bebê quando nascer? Além de deixar uma pessoa infeliz que séria a mãe, a criança que nascerá também virá a sofrer.
Enfim, basta a nós fazermos um analise e nos colocarmos no lugar dessas MULHERES, o que VC faria?

OBS: Não sou a favor do aborto por jovens que sabem como se previnir, tanto da gravidez indesejavél quanto das DSTs, portanto a solução cabe aos pais,a mídia, a sociedade, as escolas e a própria pessoa se interessar e fazer o bem não só ao seu corpo como também para sua alma.

que tal assim, o aborto em casos de abusos sexuais praticados á crianças deve ser legalizado. Pois é de certa forma ”ameniza” o trauma psicológico da criança abusada sexualmente e de evitar uma gravidez não desejada.

tu é doida e frustrada já deve ter abortado uns 15!!!

fiko ecelenti!!!
+ tinha cm fikar melhor ainda.

Querem uma opimião sobree o aborto se deve ou não deixar de ser crime vejam as fotos de aborto , imagine-se no lugar da criança que não tem culpa de nada nada nada e por mais defícil que a situaçao da mulher , me desculpe, não quero ser incenssível a mulher que sofre muito por vários motivos que podem estar passando , me desculpe mas não sejamos injusto, aconteça o que acontecer, a criança não pode pagar com sua eeevida , por um direito “legalizado”de sua mãe

gostaria de um tema para uma redação, vou fazer uma prova para o vestibular da faece, acho que o tema da redação vai ser sobre o tsunami do japão .

vou fazer a prova amanha e não tenho nem um a noção de redação, não sei o que vou fazer .

Quando cheguei aqui já era tarde.

Se quiser ajude escreva para profared@hotmail.com

Vão TOma NO seus CúúúSZ

o aborto e um caso serio e a mulher e quem decide o que ela acha melhor.aborta ou nao.

E AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII O QUE VCS ACHAN DO ABORTO ……………….BETINA PERGUNTA

O Bruna o tu acha a respeito do aborto

alguem me respónde o que é aborto

Ueller tudo bom sem respeito rssrsrsrsrsrsrrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrrsrrrsrrrsssssssssssssssssssrrrsssssssssssssssssssssssrrsrsrsrsrs

NO brasil ninguem ouvi e intende os joveens isso é mto dificil pra tomar decisãao

se nao tever codiçoes, finançeiras e espirituais para criar uma criança. FAÇA SEEXXOOOOOOO COM CAMISINHA , PARA NAO SE ARREPENDER E TIRAR A VIDA DE ALGUEM QUE NAO TEM CULPA DOS SEUS ATOS IRESPONÇAVEIS

Queriaa uma redação sobree Abortoo.. ée porqee ée um trabalhoo de escolaa e eu precisaavaa praa ontem se possivel’
Gostei Muito do Texto, porém, tinha qee seer mais resumidoo, mais prontoo… Só mesmo praa copiaar e colaar’
Abraços.. Sabrina Karen Olieira Souza*–*

aborto é homicidio doloso isso é crime

eu tenho amigas que ja abortaram e ficaram surpresas com o texto de vcs
na minha parte eu tmb adorei parabens por td
by;mazinha

Inicialmente o aborto está se tornando comum em nossa sociedade. O aborto pode occorrer por vários motivos,um deles é o descaso da maioria dos jovens que não se preocupam em se previnir e ao ocorrer a gravidez indesejada sua opção é o aborto.
Atualmente em nosso país o aberto é legalizado somente se houver um caso de estupro ou quando a mãe corre risco de vida,no entanto muitas mulheres abortam pelo simples fato de não querer responsabilidade e “continuar curtindo a vida”. A maioria dos casos de aborto são cometidos por jovens que iniciam sua vida sexual muito cedo e não se previnem. Há dois tipos de aborto: aborto espontâneo,quando não há intensão, e Aborto induzido,quando há intensão. Contudo,penso que o aborto não deve ser legalizado,pois se ocorre a gravidez é por que os responsáveis pelo ato não se importaram com a prevenção e estavam cientes do que estavam fazendo e que asssim estava expoxto a uma gravidez,ou então,a uma doença sexualmente transmissivel.
Conclue-se que a pessoa que aborta é irresponsável!!!
não é nenhuma coitadinha,por que na hora de ….. não ficou preocupado.

Inicialmente o aborto está se tornando comum em nossa sociedade. O aborto pode occorrer por vários motivos,um deles é o descaso da maioria dos jovens que não se preocupam em se previnir e ao ocorrer a gravidez indesejada sua opção é o aborto.
Atualmente em nosso país o aberto é legalizado somente se houver um caso de estupro ou quando a mãe corre risco de vida,no entanto muitas mulheres abortam pelo simples fato de não querer responsabilidade e “continuar curtindo a vida”. A maioria dos casos de aborto são cometidos por jovens que iniciam sua vida sexual muito cedo e não se previnem. Há dois tipos de aborto: aborto espontâneo,quando não há intensão, e Aborto induzido,quando há intensão. Contudo,penso que o aborto não deve ser legalizado,pois se ocorre a gravidez é por que os responsáveis pelo ato não se importaram com a prevenção e estavam cientes do que estavam fazendo e que asssim estava expoxto a uma gravidez,ou então,a uma doença sexualmente transmissivel.
Conclue-se que a pessoa que aborta é irresponsável!!!
não é nenhuma coitadinha,por que na hora de ….. não ficou preocupado.

tenho 13 anos hoje vi na aula um dvd sobre o aborto fikei xocada com as imagens e fiko pensando como uma mulher pode ser capas de matar pois não tem outra palavra pra isso pois o enbrião já pode se mover então a pessoa está praticando um crime acho tmb qi qem fas isso deveria ser preso e pegar 10 anos de cadeis pois isso é 10 veses pior que matar uma pessoa grande pois esse embrião não pode se defender

O site cubano “Cuba a la Mano” publicou em agosto de 2011 a matéria “Salud-Cuba: aborto compite con anticonceptivos”, falando de pesquisa feita naquele ano com 4 mil cubanas e que revelou que, 40 anos após a descriminalização, o aborto se tornou o principal “contraceptivo” em Cuba, apesar das campanhas em escolas e TV e do acesso fácil a anticoncepcionais e preservativos. O estudo concluiu ainda que a liberação reduziu a percepção das mulheres para os riscos do aborto. Essa matéria confirma outra de 2008, da Reuters, intitulada “Excesso de abortos preocupa médicos e demógrafos cubanos”, que mostra que 70% das cubanas que procuram o sistema de saúde por infertilidade fizeram um ou dois abortos na adolescência. Já o ‘Anuario Estadístico de Salud en Cuba (2009)’ mostra que de 2008 a 2009 houve 10 mil abortos a mais em Cuba. Frente a tudo isso, como não ponderar que se Cuba, país insular, com quase 90% de alfabetizados e com tantas campanhas de esclarecimento, passa por isso, o que ocorreria no Brasil, país continental, cheio de disparidades?! Qual seria o peso disso para o já precário sistema de saúde brasileiro, onde, só no RJ, oito pessoas morrem por dia por falta de CTI? Outro ponto pra discutir são os números do aborto. O Datasus diz que em 2009 morreram 24 mulheres no Brasil por aborto clandestino, mas entidades de fora afirmam que as mortes ao ano em nosso país somam 180, quase oito vezes a mais que o registrado oficialmente. E quanto aos números dos anos 80, quando se falava em mais de 3 MILHÕES de mortes de mulheres por aborto clandestino no mundo, mas hoje se fala em 70 MIL!? Algo está errado! E por que se pleitear tanto a não criminalização quando praticamente não se tem notícia de mulheres presas por abortar e a lei já permite aborto em casos de estupro e de risco de vida para a mulher?! O caso de Cuba não pode ser ignorado, nem por ideologia ou outro interesse qualquer.

Dependendo do caso sou a favor do aborto,acho a lei do aborto no Brasil é coerente.Em alguns casos em que as mulheres abortam simplesmente por não quererem ter filho concordo na punição pois para isso existe os preventivos.Um feto é um ser humano indefeso deve ser bem cuidado e não destruído.O que mais me deixa indignada são os profissionais que fazem e indicam os remédios para o mesmo.
No caso de estrupo ou de gravidez de risco sou a favor.

“Acredito plenamente que cada caso tem uma circunstância,Algumas aceitáveis outra não”
Patricia Pinheiro

O CARA QUE TAVA FALANDO DA PAULA ESTA COMPLETAMENTE ERRADO, ELA NAO QUIZ DIZER SOBRE ELA E SUA VIDA,ELA QUIZ DIZER SOBRE A MAIORIA DAS PESSOAS.
MAIS É ASSIM NÉ A PESSOA QUE NAO SABE FALAR SE ENCONTRA COM A LINGUA NOS DENTES
EU PESSO QUE ANTES DE FALAR ALGUMA COISA INTERPRETAR DIREITINHO E PARAR DE FALAR MERDA :
PODE SER?

ameii

Muito bom mesmo esse blog…nos ajuda muito!! Obrigado pela atenção!! *-*

Pecebir que todos que são a favor do aborto já nasceram

Assim. Muito bom seus argumentos sobre o aborto..Isso me ajudou muito no trabalho da escola..
Minha redação
O aborto , é um tema muito discutido , mas não resolvido, polêmico, pois cada um tem sua opinião, ás vezes apoiam e ás vezes não.Em diversos casos legalizaram, MAS ABORTO É CRIME em todos respectivos casos.
é uma vida , Que não tem culpa de nada, um ser inocente, que estava sendo gerado e por irresponsabilidade de quem o gerou , acabou não vindo ao mundo.ás vezes fruto de uma mãe adolescente , que sofreu abusos, mas Aquele bebezinho tinha tanta vontade de conheçer essa corrupção , essa desigualdade , esse mundão…por algumas partes fez bem ele não ter vivido. A lei brasileira como dito proíbe o aborto , exeto em alguns casos. Mas ainda assim o aborto continua em contínuo crescimento , A sociedade de hoje não tem jeito, Contraceptivos , ficou no mundo para isso , para não deixar que uma vida venha morrer , por causa da pequena idade, pela pequena responsabilidade de quem gerou. o aborto é decisão entre a vida e a morte.A opinião do gerador vale por dois. defender um feto é uma responsabilidade imensa , pois é justiça, é igualdade a todos, pois ‘ele’ é um ser vivente , uma esperança para o futuro. vamos nos conscientizar que o futuro é bem próximo, e que as pessoas do mesmo tem que nascer agora!

nossa vc escreve muito em menina! quantos anos vc tem? qual série vc estuda?

Eu estudo No IESC aqui em Santa Cruz, tenho 12 anos e estudo o 9°ano…Obrigada’

o aborto provocado e quando uma mulher esta gerando um filho mas a mulher nao quer aquele filho então ela começa tomar varios medicamentos ou ate fuma drogas e isso acaba projudicando o bebÊ

P.N.F.B Mto legal e bem explicado!!!!

eu acho que ninguem pode criticar uma mulher por abortar sem antes conhecer sua historia!!!!!!!!

Aborto,ainda ñ sei se sou a favor ou contra,pio é muito complexo e polêmico o assuto, tenho 39 anos, comecei nimho vida sexual aos 21 por opção, sempre me previni e infelismente ja tive um aborto expontâneo q foi doloroso e lamentavel por todos. (fml.) Sempre trabalhei por tamto podia comprar meus metodos contraceptivos,mas a algum tempo atáz decidi q iria pegar no posto de saúde (pois todo o mes dou para o INSS muito mais do q o valor d/uma pírula) por cinco meses tudo bem,mas começou a falta e la se foram quatro mases de insistência até q eu desisti de ir ataz,e fui em todos os postos de saúde da cidade e a resposta era a mesma, estamos em falta,no mes seguinte era a mesma coisa,ai eu desafio a q joga pedra no telhado do vizinho a me responder o q eu faria? se eu ñ pudesse comprar? sendo q sou casada a 16 anos, e ñ poderia engravidar nos próximos 3 meses p/ tinha acabado de ter um aborto, e sou alérgica a algumas camisinha,é facil dizer q o govenno disponabilisa métodos cntcp.mas na pratica ñ funciona, a mas tinha outras pírulas e se sabe q se trocarmos de pírula tb se corre o risco e quase certo q se engravida.é tão facil ser contra ou a favor do aborto mas os meios q se leva o fazer isso são inumeros,por traz dessa questão se tem o fator droga, banalisação do sexo,inresponsabilidade falta de informação,dificuldade financeira etc..Pense nos pós e contras antes de levantar uma bandeira,(o porque se levou ao aborto)tinha outa opção? Será?.

deve-se matar o estuprador! mas isso não acontece. entao nao é justo que a criança pague pelo crime de outro. pense maezinha na felicidade que um filho pode lhe proporcionar, mesmo que a vida seja cheia de dificuldades.seja amante da vida.

eu também gostei muito desse blog,me ajudou muito a fazer minha redação!
porr:mychelle adelino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: